fbpx

Chuchu

Este artigo faz parte do Glossário de Alimentos de A a Z.

O chuchu popularizou-se não só pela sua aparência como também pelo seu perfil nutricional. Existe uma grande variedade quanto à forma e cor do chuchu. A forma pode ser ovoide, piriforme ou arredondada, e a cor pode ir desde o amarelo até ao verde escuro. Já foram reconhecidas dez espécies, das quais oito são selvagens e duas cultiváveis.

Apesar do seu aspeto peculiar, o chuchu é um fruto que contém diversos minerais incluindo o potássio, fósforo e magnésio. No seu conteúdo vitamínico destaca-se a vitamina C e vitamina B9 (também conhecida por folato ou ácido fólico). Vale lembrar que o conteúdo destas duas vitaminas diminui com o tratamento térmico, sendo aconselhável optar-se pelo cozimento a vapor para minimizar as perdas, mas deve-se variar as formas de cozedura. O ácido fólico é de extrema importância durante a gravidez e é suplementado. Estima-se que apenas dois terços do folato, proveniente das fontes alimentares seja absorvido. Já através da suplementação este micronutriente é praticamente 100% absorvido! O chuchu cresce com relativa facilidade devido à sua grande capacidade de adaptação a diferentes condições climáticas. Para além disso, é muito resistente a doenças e pragas. Esta resistência é conferida, em parte, pela presença de vários polifenóis. Estes compostos são produzidos pela planta para exercer funções de proteção contra fungos e insetos. No entanto, o consumo de alimentos ricos em polifenóis parece exercer efeitos positivos no organismo humano!1

Curiosidade: O chuchu costuma ser colhido quando ainda está “verde” (imaturo) porque, à medida que vai ficando mais maduro, também fica mais duro e fibroso.

A partir de que idade pode oferecer: + 6 meses ou quando o bebé já tiver todos os sinais de prontidão.

Pode causar alergia: Não existem dados ou casos reportados. No entanto, o chuchu pertence à família Cucurbitaceae (à qual também pertence a melancia e o melão) muitas vezes associada a alergias alimentares. Relembra-se que, em teoria, qualquer alimento pode causar alergia. Por isso, começamos sempre com quantidades pequenas e evoluímos gradualmente.

Representa risco de engasgo: Como qualquer vegetal, se for consumido cru o risco de engasgo é elevado. Se cozido até ter uma consistência macia, o risco será baixo.

Veja mais sobre os cortes e texturas dos alimentos neste artigo.

Como oferecer o chuchu

O chuchu, quando cozido, tem um sabor bastante versátil. Pode incorporá-lo em sopas, em purés, assá-lo ou até mesmo salteá-lo. Atenção ao caroço uma vez que o seu sabor não é agradável; deve retirá-lo. A pele também tem um sabor mais adstringente pelo que removê-la é uma boa opção. Quando o chuchu é descascado, ele liberta uma substância que pode causar uma reação alérgica na mão e comichão. Pode por isso optar por usar luvas enquanto corta o chuchu.

BLW:

Pode cozer o chuchu em fatias ou meias luas ao vapor, com um pouco de água ou assá-lo. Certifique-se sempre que está macio o suficiente e que consegue esmagar com a ponta dos dedos. Atenção para não exceder na cozedura e torná-lo demasiado mole.

Outra hipótese é oferecer na forma de puré. Basta cozer, amassar com um garfo e adicionar um pouco de azeite. Outra opção é refogar com cebola e azeite e depois amassar com um garfo. Sirva o puré num prato ou numa colher e ofereça a colher ao bebé.

Quando o seu bebé tiver o movimento pinça fina desenvolvido pode optar por cortar o chuchu cozido e macio em pedaços menores para o bebé agarrar com a ponta dos dedos. Se optar por assar ou saltear o chuchu, adicione diferentes temperos e ervas aromáticas para diversificar os sabores.

Introdução convencional: 

O chuchu pode ser dado na forma de papa. Coza o chuchu e com um garfo amasse-o. Também pode usar a varinha mágica e com a água restante da cozedura ir ajustando a consistência. Em alternativa, pode juntar um pouco de leite (materno ou artificial) em vez de água. 

Lembre-se de evoluir a textura dos purés: comece por deixar alguns pedaços (pequenos) por amassar, vá deixando cada vez mais pedaços até oferecer a abóbora cozida em pedaços pequenos (ideal quando o bebé começa a fazer a pinça fina)

Escrito por:

Raquel Gomes, estudante de nutrição na Universidade do Porto e autora da página de Instagram Sem Papas e Bolos. Divide o tempo livre entre redação de artigos, criação de posts informativos e formações na área da nutrição. Adora ciência e comunicá-la é uma das suas paixões.

Aviso

O conteúdo oferecido no blog comidadebebe.pt é puramente para fins informativos. O comidadebebe.pt não se dedica a fornecer aconselhamento profissional, seja médico ou outro, para usuários individuais ou para os seus filhos ou famílias. Nenhum conteúdo deste site, independentemente da data, deve ser usado como um substituto do conselho de um médico ou profissional de saúde, nutricionista ou especialista em alimentação e alimentação pediátrica. Ao acessar o conteúdo em comidadebebe.pt, reconhece e concorda que aceita a responsabilidade pela saúde e bem-estar de seu filho ou familiar. Em troca de fornecer-lhe uma série de informações sobre alimentação e nutrição infantil, introdução da alimentação complementar e receitas, você renuncia a quaisquer reclamações que você ou seu filho possam ter como resultado da utilização do conteúdo que está no comidadebebe.pt.

Leave a Reply

Artigos relacionados

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo
Follow by Email
%d bloggers like this: