fbpx

A importância da textura dos alimentos

Por Joana Caçoeiro, Terapeuta da Fala Miofuncional

Instagram: @joanacacoeiro_terapeutadafala

A preocupação em redor de uma alimentação infantil saudável não deve ser apenas a nível nutricional mas também na forma como são oferecidos esses alimentos, principalmente no que respeita à consistência e textura.

Se pensarmos na progressão das competências que levam à autonomia do bebé, a mastigação assume um papel ativo, até aqui de sucção, no que respeita à correta estimulação biomecânica de todo o sistema estomatognático1. A sua “janela de oportunidade” para a aquisição encontra-se entre os 7 e os 9 meses de idade e nunca deverá ser menosprezada nem muito menos adiada dentro do crescimento infantil.

Morder e mastigar são movimentos bastante elaborados e aprendidos que necessitam de uma coordenação motora e aceitação sensorial de um nível elevado por todas as partes da boca, devendo o seu treino iniciar-se a partir dos 6 meses de idade com a introdução da alimentação complementar e assim que estejam reunidas as condições para tal (existência dos sinais de prontidão do bebé), uma vez que diferentes alimentos exigem diferentes competências: são diversos desafios/aprendizagens para o bebé.

Já parou para pensar que a boca serve para mais do que uma função? Desde a respiração, sução, mastigação, deglutição e fala: o sistema estomatognático, onde se inclui a boca e todas as restantes estruturas a ela associada, tem um papel importantíssimo no desenvolvimento infantil. E já reparou que os músculos utilizados para comer são os mesmos para falar?

Repare: A mastigação atinge a sua maturação em média entre os 12 e os 18 meses de idade, sendo que se encontra totalmente desenvolvida por volta dos 4-5 anos. Que outra função do desenvolvimento infantil tem marcos nestas duas idades? Consegue adivinhar?

Isso mesmo, o desenvolvimento da fala!

A primeira palavra aparece de forma consistente entre os 12 e os 18 meses e em média uma criança com 5 anos apresenta uma fala inteligível com a produção correta de todos os sons (fonemas).

Relação ou pura coincidência?

A alimentação diversificada tanto em paladar como consistência e textura promove um crescimento e desenvolvimento oro-facial tanto a nível motor como sensorial, contribuindo para a maturação harmoniosa das diversas funções orais onde se inclui a fala. Desta forma, as caraterísticas do alimento fazem toda a diferença no desenvolvimento anatomo-funcional do bebé em conjunto com a maturação neurológica1.

Se começar com papas, evolua rapidamente as texturas

A força mandibular exercida num alimento pastoso/macio para a formação do bolo alimentar é muito mais baixa que no alimento sólido2,3. Essa força é um exercício constante dos músculos da face do bebé diminuindo assim a ocorrência de alterações estruturais e funcionais orofaciais, logo, quanto mais mole e pastosa for a dieta do bebé, maior a probabilidade de existir:

  • Alteração da fisionomia com o estreitamento do terço inferior da face (zona dos lábios, mandíbula e queixo);
  • Tornar-se respirador oral por alterações na tonicidade dos músculos da face, principalmente os que se encontram do terço inferior da face4;
  • Interposição da língua por alterações da arcada dentária, como é o caso das mordidas cruzadas e/ou abertas5;
  • Baixa mobilidade (hipomobilidade) e baixo tónus (hipotonicidade) lingual6 o que leva à dificuldade na produção dos fonemas /r/ “caracol”, /s/ “sapo”, /z/ “zebra”, /t/ “tambor”, /d/ “dente”, /n/ “nuvem” e /l/ “lua”;
  • Hipotonicidade do músculo orbicular dos lábios (circunda a boca e permite abrir e fechar os lábios) o que leva a uma dificuldade na produção dos fonemas /p/ “pato”, /b/ “boca” e /m/ “mota”;

Assim, ao oferecer alimentos de consistência mais sólida irá promover o ato mastigatório no bebé, pelo que não é difícil perceber que uma alteração na estrutura e/ou fisiologia do mecanismo oro-facial possa comprometer a funcionalidade das funções neurovegetativas, como a fala, podendo posteriormente vir a resultar numa Perturbação dos Sons da Fala7.

Dicas para o bebé praticar a mastigação

Termino deixando algumas dicas em como pode ajudar a fortalecer a mastigação do bebé por forma a facilitar a um bom desenvolvimento da fala:

  1. Não são necessários dentes para iniciar a alimentação complementar, muito pelo contrário;
  2. Ofereça sempre uma dieta diversificada não apenas em paladar mas também em textura e consistência;
  3. A melhor forma de fortalecer os músculos faciais é com treino, ou seja, mastigando;
  4. Não liquidifique toda a refeição do bebé (excetuando casos de patologia clínica como a disfagia) ao invés, opte por amassar individualmente;
  5. Permita a exploração dos alimentos no seu estado natural;
  6. Faça sempre refeições em família com o bebé sentado na cadeira ao nível da mesa;
  7. Seja o espelho do bebé! Mostre como se mastiga: faça-o de frente, com movimentos mais lentos mas sempre com prazer;
  8. E lembre-se, acima de tudo respeite o ritmo do bebé.

A normalidade do desenvolvimento global da criança está não apenas na existência ou não de patologias mas na satisfação com que se atinge patamares, se conquista competências e se aperfeiçoa capacidades. Por isso, toca a treinar pois “quem mastiga por gosto, não cansa”!

Ficou com dúvidas? O seu filho mostra dificuldades na progressão alimentar, em aceitar alimentos sólidos e não consegue sair da dieta pastosa? Nota alterações na mastigação e/ou na fala? Ele respira maioritariamente pela boca, tem olheiras e está constantemente cansado e irritado? Não fique à espera por “passar” pois na maioria das vezes não é “apenas uma fase” e procure um Terapeuta da Fala Miofuncional.

Fontes:

1 Vieira, V., Araújo, C., & Jamelli, S. (2016). Desenvolvimento da fala e alimentação infantil: Possíveis implicações. Revista CEFAC , 6, pp. 1359-1369.

2 Tanaka, E., Sano, R., & al., e. (2007). Effects of Food Consistency on the Degree of Mineralization in the Rat Mandible. Anna Biomed Eng. , 9, pp. 1617-1621.

3 Canttoni, D. e. (2001). Levantamento da consistência do alimento recebido no primeiro ano de vida. Sociedade Brasileira de fonoaudiologia , 6, pp. 59-64.

4 AP., N., & Gross, C. e. (2009). Fatores interferentes na alimentação de crianças de 17 a 25 meses de uma creche municipal. Revista CEFAC , 3, pp. 291-297.

5 Jorge, T., AZK., B., & al., e. (2009). Relação entre perdas dentárias e queixas de mastigação, deglutição e fala em indivíduos adultos. Revista CEFAC , 3, pp. 391-397.

6 Sugita, K., Inoue, M., & al, e. (2006). Effects of food consistency on tongue pressure during swallowing. J Oral Biosci , 4, pp. 278-285.

7 Tanigute. (2005). Desenvolvimento das funções estomatognáticas. In I. Marchesan, Fundamentos em Fonoaudiologia: Aspétos Clínicos da Motricidade Oral. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan S.A.


Sobre a Joana Caçoeiro, Terapeuta da Fala Miofuncional

•Licenciada pela ESS-IPS com Pós-Graduação em Motricidade OroFacial pelo EPAP e diversas especializações na área da alimentação infantil e motricidade orofacial. Sou também CAM pelo CHULC.

•Atualmente trabalho no Hospital D. Estefânia e na Maternidade Dr. Alfredo da Costa do CHULC. Faço também consultas online e em gabinete próprio.

•As minhas áreas de interesse são a motricidade orofacial na alimentação em neonatologia e pediatria.

•Mais informações ou pedido de consultas: @joanacacoeiro_terapeutadafala (Instagram/Facebook)

Aviso

O conteúdo oferecido no blog comidadebebe.pt é puramente para fins informativos. O comidadebebe.pt não se dedica a fornecer aconselhamento profissional, seja médico ou outro, para usuários individuais ou para os seus filhos ou famílias. Nenhum conteúdo deste site, independentemente da data, deve ser usado como um substituto do conselho de um médico ou profissional de saúde, nutricionista ou especialista em alimentação e alimentação pediátrica. Ao acessar o conteúdo em comidadebebe.pt, reconhece e concorda que aceita a responsabilidade pela saúde e bem-estar de seu filho ou familiar. Em troca de fornecer-lhe uma série de informações sobre alimentação e nutrição infantil, introdução da alimentação complementar e receitas, você renuncia a quaisquer reclamações que você ou seu filho possam ter como resultado da utilização do conteúdo que está no comidadebebe.pt.

Leave a Reply

Artigos relacionados

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo
Follow by Email
%d bloggers like this: